Uma Itália azul turquesa. Três dicas de vinhos e destinos.

A Itália é um país inspirador, rico em cultura e repleto de surpresas. Vale a pena ser explorada seja viajando ou através das garrafas de vinhos. Os destinos clássicos, Roma, Milão, Veneza, Firenze, por exemplo, situados na metade norte do território são imperdíveis. Os vinhos reconhecidos mundialmente elaborados nessa porção do mapa também, tais como o Barolo, Amarone, Brunello di Montalcino, Supertoscanos, Franciacorta, dentre outros. Para os curiosos e com espírito explorador, nesse mesmo país há destinos menos óbvios que oferecem não apenas uma imersão na história, como também em lindas paisagens naturais. À medida em que o território se estreita, mais ao sul, os oceanos banham as porções de terra formando praias com mares de tom azul turquesa que influenciam positivamente as plantações de uvas. Os enófilos que procuram por novidades podem se deliciar com os vinhos produzidos nesses lugares. Muitos deles são feitos com uvas autóctones (nativas) ainda não muito conhecidas fora da Itália, que vale a pena experimentar. Aqui vão três dicas de vinhos oriundos do clima mediterrâneo, caracterizado por não apresentar grandes diferenças de temperatura entre os meses mais quentes e frios do ano e com tendências de verões quentes e secos, o que normalmente resulta em vinhos com muito corpo, taninos maduros, alto teor alcoólico e menor acidez. Dois desses rótulos já estão disponíveis no comércio nacional, o terceiro ainda não. Tive a oportunidade de conhecê-los na Masterclass Top Italian Wines Roadshow 2014 realizado pelo Gambero Rosso.

1 SICÍLIA

Sicília - Foto: nelmondonostro.forumfree.it

Sicília – Foto: nelmondonostro.forumfree.it

Quater Bianco IGT 2012 produzido pela vinícola Firriato que recebeu do Gambero Rosso a qualificação “Due Bicchieri” (duas taças) é o resultado do corte (mistura / blend) de quatro uvas brancas: Grillo, Catarratto, Carricante e Zibibbo, plantadas a entre 200 e 250 metros à cima do nível do mar. A colheita é feita manualmente e não há passagem por barricas, uma vez que a produção é elaborada em tonéis de inox. Esse branco bastante complexo de cor amarelo palha com reflexos verdeais deve ser servido com uma temperatura entre 10 e 12 graus.  Os aromas bastantes minerais são percebidos no paladar como uma certa salinidade. Ainda no nariz é possível encontrar frutas como laranja e abacaxi. Na boca, uma deliciosa maciez amanteigada, acidez equilibrada e um final longo. Um vinho muito sugestivo para harmonizações com refeições. Importado pela Cantu.

 

PUGLIA

Puglia - Foto: www.hotel7mari.it

Puglia – Foto: www.hotel7mari.it

Selvarossa Salice Salentino Rosso Riserva DOP 2008 produzido pela vinícola Cantine due Palme que recebeu do Gambero Rosso a qualificação máxima “Tre Bicchieri” (três taças) é um vinho tinto de cor rubi também elaborado a partir de um corte (mistura / blend) no qual a uva Negroamaro é predominante mas somada à 15% de Malvasia Nera. A colheita das uvas é feita manualmente, o vinho é submetido à fermentação malolática em barricas de carvalho novas e depois à um descanso também em barricas por 9 meses. Apesar da alta graduação alcoólica de 14,5% , demonstra equilíbrio e o álcool bem integrado não é percebido no nariz nem na boca. A temperatura de serviço deve ser entre 12 e 20 graus. Café, violeta e frutas  vermelhas compotadas são aromas que podem ser encontrados. Na boca, uma impressão de dulçor junto à taninos macios, sabor das frutas, boa acidez e um final longo. Importado pela La Pastina / World Wine.

 

SARDENHA

Sardenha - Foto: www.sardizurigo.ch

Sardenha – Foto: www.sardizurigo.ch

Vermentino di Gallura Superiore Monteoro 2012 produzido pela vinícola Tenute Sella & Mosca foi também qualificado com o um “Tre Bicchieri” pelo Gambero Rosso. Um vinho branco elaborado a partir da casta (uva) Vermentino plantada em solo granítico que não estagia em madeira. Apenas a fruta é trabalhada, resultando em vinho de cor palha com tons verdeais. No nariz, notas florais e de frutas frescas. As flores se refletem no sabor desse vinho de ótima estrutura, acidez e delicioso final de boca. Deve ser servido entre 10 e 12 graus. De acordo com o material impresso entregue no evento, o vinho ainda não é importado. Nesse caso, que tal aproveitar o verão europeu para experimentar esse rótulo na sua própria terra apreciando esse presente da natureza?


Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.