Fiasco.

blogabril14.2

Pizzaria Castelões, fundada em 1924, e sua famosa pizza de calabresa foto: http://rustymarcellini.blogspot.com.br

A foto à esquerda foi tirada na Pizzaria Castelões em São Paulo, fundada em 1924. É um lugar onde o meu avô gostava de frequentar e arrastava com ele toda família. Ela está assim até hoje e é um programa que recomendo para o final dos domingos. Me lembrei de lá porque até hoje as garrafas de vinhos envolvidas por uma cestinha de palha estão penduradas no teto, assim como em algumas outras cantinas tradicionais da cidade. O nome desse tipo de garrafa é Fiasco. Naquela época o Brasil dificultava a entrada de produtos importados e o vinho não escapava disso. Essas garrafas as quais me referi eram uma exceção. Foi assim que nós paulistanos e acredito que muitos outros brasileiros conhecemos o Chianti. Com o passar do tempo, mais brasileiros começaram a viajar, conhecendo novos vinhos. Além disso, o país abriu as portas para produtos estrangeiros e constatamos que aquele Chianti da garrafa envolvida com palha não era tão bom assim. Ele passou a ser mal visto e rejeitado por apreciadores da bebida que hoje não conseguem nem ouvir esse nome. É quase irresistível pensar que o vinho se tornou um fiasco, daí o sentido que damos à essa palavra, mas a origem etimológica é muito anterior.  Encontrei aqui um artigo bacana para quem se interessar por essa explicação.

Se você gosta de vinhos, não deixe que essa primeira referência do Chianti te impressa de mergulhar no seu incrível universo. Elaborado em uma das primeiras áreas vinícolas geograficamente demarcadas da Itália, ele tem Firenze em seu centro. É portanto um vinho engarrafando junto à muita história e arte, consumido por artistas e personagens do Renascimento, como Michelangelo, Leonardo da Vinci e a família Medici. É claro que a bebida mudou e evoluiu muito daquele tempo para cá. Saiba que se você é amante de Brunello di Montalcino, pode se surpreender com belos Chiantis. No final do mês passado estive em uma vinícola nessa região de onde se podia ver os vinhedos das uvas que serão futuros Brunello di Montalcino, a mesma Sangiovese do Chianti, mas em outro terroir.

Daqui para frente então nada de fiasco! Continuarei contando sobre essa aventura que me fez mudar a imagem desse vinho que junto com um bisteca Fiorentina arranca sorrisos de qualquer um!


  1. by Renato Esteves on 14 de junho de 2014  10:51 AM

    Olá, é isso mesmo.
    Vc já leu o livro "O Perfume do Chianti" escrito pelo Piero Antonori?
    Vale a pena.
    Parabéns e um abraço.

  2. by labSommelier on 14 de junho de 2014  11:07 AM

    Oi Renato, não li não. Ótima dica! Vou procurar o livro, obrigada.

Leave a reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.